• PROBABILIDADES - HÁ SEMPRE 1 CHANCE DE SER FELIZ

  • GRANDES FILMES E SUAS FRASES MARCANTES

  • ENCONTROS CASUAIS ESTÁ DE VOLTA!

segunda-feira, 6 de maio de 2019


Rubi chega em casa ouvindo um mp3, quando Teófilo a encontra.
- Filha, onde estava? Fiquei preocupado!
- Paizinho do meu coração, não precisava ficar preocupado com a minha ausência. Eu saí com algumas amigas.
- Vê se da próxima avisa tá bom, minha princesinha.
- Tudo bem! Eu vou para o meu quarto agora. Estou super cansada.
- Vai, minha filha. Vá descansar!
Nair ouve da escada e comenta pra si mesma:
- Que pai cego, meu Deus!

De manhã, Ariosvaldo encontra Cecília no parque e decide falar com ela de novo.
- Oi! -Ele diz.
- Oi, Ariosvaldo. -Ela cumprimenta.
- O que faz por aqui sozinha?
- Eu estou esperando uma amiga.
- Ah, bem. Cecília, posso te fazer uma pergunta?
- Depende da pergunta, Ariosvaldo.
- Bem, eu só queria saber o que você realmente sente por mim?
- Bem, você sabe perfeitamente o que eu sinto por você. Aliás, você está cansado de ouvir isso.
- Eu não quero ser seu amigo, Cecília. Eu quero ser mais do que isso.
- Por favor, me esqueça, ok! Esqueça desse sentimento que tem por mim, que não vai dar em nada mesmo. Tudo o que eu quero de você é apenas amizade e ponto. Será que é tão difícil entender ou você quer que eu desenhe?
- Não é difícil, Cecília, mas não é fácil pra mim.
- Te enxerga, Ariosvaldo! Você seria o último cara que lhe daria uma chance. Procura outra e me esquece!

Bola Fora

- Desculpa por ter lhe enviado aquela carta.
- Cara, você é um grande amigo, um parceiro, mas eu não sou a pessoa certa pra você, não. Você merece uma pessoa melhor. Eu sei que você vai encontrar alguém melhor. Desculpa por te falar isso! -Ela diz e sai, deixando o rapaz abatido.

Wellington passeia pelas ruas da cidade de São Lourenço, quando encontra Kathleen com o filho no portão de sua casa.
- Kathleen, como vai?
- Wellington, que prazer te ver de novo!
- Pois é eu estava passando e acabei encontrando a sua casa.
- Que bom que a gente se reencontrou de novo!
- Bem, eu não sabia que você morava ainda aqui.
- Sim. Eu moro com meu pai e uma irmã.
- Como está o Vinícius?
- Bem. Você aceita entrar pra tomar um café?
- Claro. Eu adoraria. -Ele sorri, alegre.
Kathleen fica feliz com a resposta do amigo.

Rubi decide sair pra escola, quando encontra Débora no ponto, esperando o ônibus. Ela decide provocar.
- Oi, Débora. Eu soube que você andou falando de mim pra diretora. Por que fez isso, se eu não te dou ideia?
- Rubi, não se faça de sonsa, por que você não é. Você sabe muito bem o que fez no refeitório.
- O que eu faço e deixo de fazer, é problema meu. Tá legal!
- Rubi, você pode enganar o seu pai, mas à mim você não me engana.
- Lava a sua boca antes de falar do meu pai.
- Eu não disse nada que o ofendesse.
- Escute aqui, garota! Eu vou acabar com a sua raça na escola. Você pode apostar que eu não vou deixar barato, não! Sua dedo-duro!
- Rubi, você não me mete medo!
- Isso é o que você pensa, Débora! -Ela lhe dá um soco no meio do rosto.
Débora revida em Rubi e as duas começam a brigar.
De repente, Simone chega na hora e defende a filha contra Rubi.
- Só podia ser você, a armadora de confusões!
- Mãe, ela partiu pra cima de mim à toa. -Diz Débora indignada.
- Você não tem vergonha Rubi, de brigar no meio da rua? O que o seu pai vai achar disso, hein?
- Por que você não me deixa em paz, Simone? Essa briga é minha e da sua filha, que faz fofoca de tudo.
- Me respeite, pois sou mais velha do que você, garota. Você está brigando com a minha filha e eu tenho direito de defendê-la.
- Claro. Você e a sua filha são farinhas do mesmo saco. Vê se fala pra sua filha não se meter comigo, não!
- Garota, isso não vai ficar assim, não! Você que se atreva a mexer com a minha filha de novo! Seu pai vai ter conhecimento dessa história, ok?
- Eu não estou nem aí pra você, Simone. -Ela sai, deixando a cabeleireira num ataque de nervos.
- Mãe, o que a senhora vai fazer agora?
- Oras, eu vou ligar pro Teófilo e vou contar tudo o que houve com você. Ele vai ter que tomar uma atitude.
- Não vai adiantar, mãe. A senhora vai comprar uma briga feia pra nada. Todo mundo sabe que a Rubi tem panos quentes.
- É verdade, filha. Teófilo é completamente cego em relação a filha. -Diz Simone, irada por dentro.

Wellington toma um copo de café na sala ao lado de Kathleen, que sorri feliz.
- Como está o café?
- Muito bom. Obrigado!
- Bem, o que faz aqui em Minas?
- Eu estou á trabalho. Eu vim fazer uma visita a um amigo que tem um projeto de construir um edifício por aqui mesmo.
- Que legal! Então, não mora por aqui?
- Não. Eu estou morando em Curitiba com uma irmã caçula.
- E seus pais?
- Eles não vivem mais juntos. Ambos estão separados e viajando.
- Deve ser chato viver sem a presença deles?
- Um pouco, mas nada que o trabalho me distraia a atenção. E os amigos da escola? Você ainda os vê por aí?
- Não. É muito difícil encontrá-los.
- Ah, bem! -Ele diz desanimado.
- Eu também passei por alguns períodos difíceis na vida. Como você pode observar, até um filho, eu já tenho.
- Eu fiquei impressionado com essa novidade. Você é tão nova!

Hora do café

- Pois é, eu tive uma forte decepção com o pai do Vinícius. Eu acreditava que formaria uma família ao lado dele, mas me enganei totalmente. Ele me deixou grávida e não quis saber do filho. Depois de certo tempo, ele voltou e registrou o Vinícius praticamente obrigado pela mãe.
- E vocês estão juntos agora?
- Não. Eu não quero saber mais do Fábio, não! Tudo o que eu quero é cuidar do meu filho e ter paz.
- Ele visita o filho?
- Sim. Mas quando ele quer, Wellington. E você? Acabei falando da minha vida e esqueci-me de perguntar sobre a sua. Você é casado agora? Namora? O que faz?
- Estou ficando. Não estou pronto pra casamento agora. Pra te dizer a verdade, minha vida sentimental está bastante confusa.
- Desculpe te perguntar, mas por quê?
- Por que eu ainda acho que não encontrei uma pessoa certa pra mim.
- E essa sua ficante? Ela não pensa em namorar sério?
- A Estela? Ela quer muito isso, mas eu sempre evito e não é só por isso. Também tem o sentimento que está em jogo. Eu não quero me comprometer com uma pessoa sem saber realmente se é aquilo mesmo que eu quero. Em minha opinião, o que conta é o amor.
- Eu entendo o que você pensa à respeito. Eu também penso assim como você.
- Então, você sabe como me sinto em relação à Estela, né?
- Claro. -Ela responde. -Se arrependimento matasse, eu não estaria viva agora.
- O meu relacionamento com a Estela não passa de apenas uma curtição.  Só isso! -Ele responde, bebendo mais um gole de café.

Estela dialoga com Cecília:
- Curtição é tudo que o Wellington pensa da nossa relação. -Diz Estela, bebendo um capuccino com Cecília.
- Pelo menos, você não está sozinha?
- Tem razão. Eu tenho sorte em ter seu irmão, sabia?
- Eu sei disso. Ele gosta muito de você, Estela!
- Eu não acredito muito nisso, não.
- Por que diz isso, ora?
- Por que se ele me amasse de verdade, pelo menos, me ligaria né? Ele está em Minas há dois dias e não telefonou pra mim ainda.
- Estela, meu irmão está lá á negócios.
- Mesmo assim, Cecília. Eu sinto que o seu irmão não liga a mínima pra mim.
- Estela, você devia deixar essa insegurança pra trás. Wellington é assim bonzinho, mas no fundo, ele odeia quem fica na cola dele.
- Eu sei disso, mas ele precisa saber que eu não fico atrás dele por que eu quero. Eu tenho medo de perdê-lo, Cecília.
- Isso não vai acontecer, Estela. Tira isso da sua cabeça!
- Tá legal! E se eu acreditasse que ele nunca iria me trair, quem iria me garantir que Wellington se casasse comigo?
- Eu não sei, Estela. Eu só sei que você precisa mudar um pouco esse seu jeito de ver as coisas ao seu redor.


À noite, Kathleen põe Vinícius pra dormir, colocando sobre ele o cobertor alaranjado com fiapos verdes e o beija em seu rosto, desejando-lhe uma boa noite de sono. Ela apaga a luz do quarto e deixando a porta encostada.
Wellington a espera na sala, quando depois de cinco minutos, ela volta.
- Foi um prazer conversar com você, Kathleen, mas tenho que ir. -Diz ele.
- Obrigada por ter me feito companhia hoje. Foi muito divertido a nossa conversa. Se você quiser voltar outras vezes, fique à vontade!
- Claro. Eu vou gostar muito de visitá-la novamente.
De repente, a campainha do seu celular toca e ele atende:
- Alô! Oi!
- Wellington, onde você está?
- Eu estou em Minas, Estela.
- Meu amor, você não liga e me deixa sem notícias. O que houve com o seu celular?
- Eu esqueci de recarregar a bateria. Desculpe!
- Quando você volta?
- Eu não sei, amor. Eu acho que devo voltar depois de amanhã. Tá legal?
- Wellington, estou sentindo muito a sua falta.
- Eu também. Preciso desligar agora!
- Vê se não me esquece, ok?
- Claro. Eu te amo! Tchau! -Ele desliga o telefone.
- Wellington! -Ela ouve o sinal cair. -Droga!
- Sua namorada deve te amar muito, ne? -Pergunta Kathleen ao ouvir o diálogo pelo viva-voz do celular.
- Você ouviu tudo, né? -Ele pergunta envergonhado a amiga que sorri indiscreta.
- Sim. Deixa eu te perguntar uma coisa: ela não é apenas uma ficante, né?
- Bem, ela pensa que é minha dona, mas no fundo, não é. Entende?
- Não precisa disfarçar, Wellington. Tá na cara que ela não é apenas uma curtição na sua vida.
- Eu tô falando sério. A Estela pra mim é apenas uma mulher que está comigo por estar. Eu não sinto absolutamente nada mais do que uma forte amizade por ela. -Ele responde, sério.
Kathleen finge que acredita na versão do rapaz.

Vai Pensando que me Engana

Enquanto isso, Nair chega em casa e encontra Teófilo na sala assistindo DVD com Arthur. De repente, o telefone toca e Nair atende:
- Oi, Simone!
- Oi, Nair. Eu estou ligando pra te contar algo.
- O que houve?
- O Rubi. Ela aprontou de novo. -Diz ela, contando-lhe tudo por telefone.
No fim da conversa, Nair encara Teófilo e diz:
- Teófilo, sua filha aprontou de novo.
- Como assim, aprontou? Minha filha é uma menina boa.
- Teófilo homem, Simone acabou de me ligar agora há pouco.
- Simone. Sempre a Simone. Ela é a única que se queixa da Rubi.
- Tenta entender, Teófilo. Sua filha implicou com a Débora de novo. Não é a primeira vez que isso acontece.
- Ela põe muito o pano quente por cima da Débora. Rubi não iria brigar à toa. Ela deve ter tido motivos.
- Você apóia muito a Rubi, Teófilo! Será que você não percebe que ela não é uma santa?
- Nair, eu não quero discutir com você agora. Me deixa assistir o filme em paz, tá legal?
Nair fica perplexa e sai, levando Arthur para o quarto.

No dia seguinte, Ariosvaldo chega na sala de aula e Daisy pergunta:
- O que houve contigo pra se atrasar tanto assim?
- Eu tive um problema em casa.
De repente, surge Cecília na porta e se senta em sua frente, jogando os cabelos pra trás, como se fosse de propósito. Ariosvaldo se perde na jovem e Daisy lhe faz uma pergunta:
- Ariosvaldo, você trouxe o trabalho de biologia?
Ele fica fascinado com a jovem em sua frente e não responde.
- Ariosvaldo? Acorda! -Diz Daisy, brava.
- Ah, o que houve Daisy? -Ele desperta.
- Você está bem? Eu te fiz uma pergunta e você está em outro mundo.
- Desculpe, mas eu não ouvi. Pode repetir?
- Ariosvaldo, desencana dela! Ela não gosta de você.
- Eu sei, Daisy. -Ele diz chateado. -Eu prometo que vou mudar. Ok?  Sei que estou sendo um tolo em achar que ainda tenho chances, mas o que eu posso fazer?
- Você diz isso o tempo todo, Ariosvaldo.
- Agora é diferente, ok?
- Amigo, o dia que você mudar suas opiniões, me prove pra eu ter certeza. -Diz Daisy, encabulada.

Teófilo chega no quarto de Rubi e a encontra teclando no computador.
- Filha, eu soube que você brigou com a Débora. O que houve?
- Pai, ela implica comigo o tempo todo.
- Você não devia se meter mais com a filha daquela mulher.
- E aceitar as provocações dela? Nem pensar!
- Da próxima vez, não ligue, minha filha. Eu estou cansado de comprar a sua briga com a Simone. Se você sabe que ela defende a filha com unhas e dentes, não se humilhe.
- Tudo bem, pai. Eu não vou mais brigar com a Débora. Mas se ela me ofender ou ofender o senhor, eu vou partir pra cima.
- Esquece isso, tá bom! Você sabe que eu te amo muito. Não quero ver minha filha sendo vítima de briga em rua.
- Pode deixar, pai. -Ela se alegra por dentro.
Nair ouve a conversa dos dois e encara Rubi de cima a baixo. A adolescente deixa o pai sair e diz pra madrasta.
- Vai ficar olhando?
- Rubi, como você é falsa, hein?
- Se liga na parada, Nair! - Ela bate a porta.



Próximo Capítulo: 10/05 (20hs)
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Marcadores

4 Non-Blondes 50 Cent A Dona do Pedaço A Dor desse Amor A Força do Querer A-ha Abalou Abraço Abuso Sexual Ação Acidente Águas de Março Alceu Valença Alegria Alguém Always Amizade Amor Andanças Anjo Anjos Antarctica Antônio Ramos Rosa Anunciação Aplicativo Aquela Nuvem Atenção Ausência Avenida Brasil Ayrton Senna Baby Banda Beijo Banda Eva Beijo Beijo Roubado Bella Berimbau Metalizado Berlin Beth Carvalho Bleeding Love Bob Marley Bon Jovi Cachimbo da Paz Cafuné Calor Candy Shop Canto Carinho Carnaval Cássia Eller Castles in the Air Certeza Charlie Brown Chega Cheiro Cheiro de Amor Chikungunya Claudia Leitte Coincidência Coisas Come Undone Comédia Companheirismo Completamente Apaixonados Confiança Controle Convicção Coração Cores Crazy Crepúsculo Culpa Daniela Mercury De Ladinho Decepção Demi Lovato Dengue Deniece Williams Descaso Desejo Desisto Destino Devagar Devagarinho Dezembro Dire Straits Disney Distância Distante Divulgação Don Mclean Drama Duran Duran Ebook Edward Eline Porto Elis Regina Encontro Engenheiros do Hawaii Entretenimento Erótico Especial Espera Esquecimento Estrelas Êxtase Febre Amarela Felicidade Filho Filmes Fim de Ano Flashback Folia Força Fragilidade Frases Frio Futuro Gabriel Diniz Gabriel Pensador Game of Love Gameshow Gilliard Glória Perez Gravidez Gshow Haddaway Holly Vallance Homenagem Hot Hunting High and Low I Want You Back Ideia Imprevisível Demais In This Country Iniciativa Inspiração Investigação Irene Cara Ivete Sangalo Iza Jenilo João Emanuel Carneiro Jogo Jonas Brothers Julio Iglesias Justin Bieber Katwel Kid Abelha Kiss Kiss KLB Lado Lágrimas e Chuva Lambada Leona Lewis Lets Hear it for the boy Liberdade Lithium Livin La Vida Loca Livin on a Prayer Livro Love Love is all Around Luan Santana Luz Mãe Mágica Malandragem Mano Walter Marcelo Augusto Martinho da Vila Marvin Gaye Matsu MC Kekel MC Kevinho Me Espera Medida Michele Branch Miley Cyrus Miúcha Momento Momentos Money for Nothing Mundo Música My Love N'Sync Na Base do beijo Namorados Não Deixo Não Natal Natalie Imblugia Natasha Bedingfield Natural Negra Li Netflix Never Gonna Give You Up Nirvana Noite Novela O Bebê O Canto da Cidade Olhares Olhos One Love Oportunidade Ovelha Pai Paixão palavras Palpite Passado Paternidade Patrick Swayze Paz Paz Carnaval Futebol Pela Luz dos Olhos Teus Pensamento Pepê e Neném Perae Período Pesadão Pessoas Pintura Íntima Piscininha Poesia Pop Príncipe Prisão Probabilidade Querer Quize Rede Globo Rede Social Reflexão Relacionamento Virtual Ricky Martin Robin Zander Romance Sabiá Sangue Saudade Saúde Pública Scorpions Se Quiser Sem Você Não Viverei Senna Sentimentos Seriado Série Sertanejo Sexual Healing Shes Like The Wind Sinto Smells Like Teen Spirit Só por uma Noite Sofrência Sol Solidão Sonho sonhos Sorriso Sozinho Sucesso Surfista Solitário Suspense Take My Breath Away Tânia Mara Tempo Término Terra Texto The 100 Thiago Martins This is Promise You Tom Jobim Torn Traição Trailer Tribalistas Tudo Um dia a gente se encontra Unwritten Vai Sacudir Vai Abalar Vanessa Rangel Velha Infância Verdade Vida Vingança Você Você vai Estar na Minha Vou Festejar Voz Walcyr Carrasco Walk of Life websérie Wet Wet Wet Whadi Gama What a Feeling What is Love Wind of Change You are the One Youtube Zika

Direto do Canal do Youtube

SURF SHOP

Trilha Pop

AMAZON PRIME

TEM NOVIDADE CHEGANDO POR AÍ!!AGUARDE