• PROBABILIDADES - HÁ SEMPRE 1 CHANCE DE SER FELIZ

  • GRANDES FILMES E SUAS FRASES MARCANTES

  • ENCONTROS CASUAIS ESTÁ DE VOLTA!

domingo, 7 de abril de 2019


Matt sabia que aquele tapa foi merecido e que Christine estava totalmente certa.
- Você não merece apenas um tapa, Matt! Você merece ficar sozinho porque perdi totalmente a vontade de continuar nesta casa e bancar a esposa fiel. Cuidar dos afazeres da casa, dar atenção ao nosso filho e se preocupar com um homem que não me dá valor, não me dá crédito algum. Um homem que só pensa em si mesmo e que esquece ás vezes que tem uma família pra cuidar.
- Você está sendo injusta comigo. Eu admito que errei sim, mas a minha responsabilidade com a minha família ainda continua firme e forte. O que houve comigo esta noite foi apenas um vacilo que não vai acontecer mais. Eu te juro! Só não vem colocando mais idéias na minha cabeça que eu já estou farto, ok! - Ele grita com ela, se envolvendo na toalha.
- Você parece diferente. Não é o mesmo Matt que eu conheci há onze anos. Você mudou e eu finalmente estou percebendo agora. Tudo por causa desse maldito trabalho!
- Não foi o meu trabalho que mudou a nossa relação, Christine! Você sempre foi superior e indiferente em tudo. Quando estou ao seu lado, eu não consigo respirar direito. São tantas cobranças, é tanto isso e aquilo. Eu estou ficando louco!
- E aí você teve a audácia de me trair com qualquer vagabunda que passasse na sua frente, né?
- Sim. Eu traí você sim, mas não foi intencional. Eu só queria viver uma distração, Christine! Eu queria esquecer um pouco toda a situação que anda acontecendo em minha vida. O meu trabalho perigoso, os problemas que ando tendo em casa, tudo.
- Eu entendi, Matt! Não precisa mais explicar nada.
Matt toca em seu rosto e se aproxima pra beijá-la.
- Por favor, não ouse me tocar! -Diz ela, dando de ombros e se afastando. - Acabe o seu banho e tome o seu café!
- Christine… - Ia dizer Matt, quando ela fecha a porta rapidamente.

Enquanto isso, Brendha faz compras no shopping com a tia, que se afasta um pouco pra experimentar algumas peças de roupas enquanto policiais fazem sua segurança de longe. Alguns homens desconhecidos a observam atentamente e sacam suas armas. Bem afastado dali alguém aguarda um telefonema.

Fazendo Compras

De repente, o telefone toca e ele atende.
- Pode falar! Encontraram a menina?
- Sim. Achamos ela! - Responde.
- Tem a minha carta branca. Podem agir! - Ele ordena.

Sr. Smith tecla no computador quando Matt entra em seu escritório.
- Você está com uma cara péssima, meu amigo!
- Claro. Pensou que eu estaria com uma cara boa, depois de tudo que aconteceu?
- Mas o que é que houve agora. Mas uma vítima!
- Antes fosse. O problema foi em casa mesmo.
- Hum. Então, diga logo, rapaz!
- Minha mulher descobriu que estou a traindo.
- Mathew! E agora, meu amigo?
- Eu não sei o que fazer. Ela está irada comigo e pensa em ir embora com o meu filho. - Ele responde, agoniado.
Sr. Smith fica sem palavras no momento.

Christine surge no condomínio de Suzi, que a atende gentilmente.
- Oi, amiga! Eu não a esperava por aqui.
- Suzi, você pode me ajudar?
- Ajudar você? O que houve, amiga? Estou te sentindo diferente.
Christine a abraça.
- Estou confusa, perdida. Eu estou sem chão, Suzi!
- Christine, estou ficando preocupada. - Diz Suzi, lhe convidando a sentar no sofá e servindo um copo d’água. - Agora, me conte o que está havendo pra você ficar desse jeito?
- Eu estou sendo traída, Suzi! Meu marido anda me traindo com outra mulher. - Ela desabafa.
- Oh, céus! Christine, eu sinto muito! - Diz a jovem, se sentando próxima da amiga e a consolando.
- Eu não sei o que fazer, Suzi! Matt nunca agiu assim. Ele sempre foi fiel a mim. Acho que a culpa disso tudo é minha. Eu devia ter ficado mais ao lado dele. Devia ter apoiado. Eu preciso fazer algo, Suzi!
- Não se sinta assim, Christine! A culpa não é sua.

Poxa

- Matt está diferente comigo, Suzi, desde que ele se envolveu nesse caso de homicídios, que por sinal, está demorando muito pra ser resolvido. O trabalho está nos afastando cada vez mais. E agora, surge essa novidade: ele resolve me trair.
- Mas você tem certeza disso?
- Tenho. Eu vim com esses olhos que a terra há de comer. Eu vi a marca do batom da vagabunda na camisa do meu marido. Ah que ódio!
Suzi fica em silêncio por alguns minutos.
- Se eu soubesse quem era a vagabunda, eu não deixaria barato. Eu acabava com a vida dessa mulher, Suzi!- Diz Christine, irritada. - A sorte dela é que eu não a conheço. Mas um dia vamos nos encontrar. Tenho certeza de que não vai demorar muito.
Suzi sorri por dentro ao ouvir aquilo.

Já no shopping, Brendha é raptada por um homem desconhecido, mandado pelo misterioso conhecido de Suzi. Tapa-lhe a boca dela com um lenço e a faz desmaiar sob o efeito de alguma droga que causa inconsciência. Assim que ele entra no carro com ela e foge, o shopping fica em alerta. Policiais invadem o local atrás de indícios que possam levar ao seqüestro relâmpago da menina e sua tia fica preocupada em estado de nervos. Sr. Smith recebe o chamado e Matt fica indignado com a ação da polícia.
- Eu sinto muito Matt, mas não podíamos fazer nada. Pegaram-nos de surpresa.
- Você sente muito, Sr. Smith? É impressionante como essa situação está se agravando cada vez mais. - Diz Matt, se sentindo de saco cheio.
O delegado fica sério diante do policial.

Horas depois, Matt encontra Suzi no condomínio e pede uma explicação sobre a sua atitude que provocou desentendimentos em sua relação com Christine.
- Ora Matt, conseguiu finalmente se decidir? Sentiu minha falta né? -Diz ela, tocando em seu rosto.
Matt se afasta e continua.
- Por que marcou minha camisa com batom? Por sua causa, eu briguei com a Christine e ela pensa em terminar tudo. Você está satisfeita agora?
- O destino nos escolheu, Matt! Fomos feitos um pro outro, só você não enxerga isso.
- Destino? Eu não acredito em destino. O que houve com a gente não passou apenas de uma coincidência, um encontro que virou uma simples aventura, nada mais do que isso.
- Então você acha que eu sou uma aventura pra você? Que eu não tenho sentimentos? Ora essa!
- Suzi, não existe amor em nossa relação. Apenas desejo! Nada mais. Eu me envolvi com você apenas por uma fantasia sexual. Diferente de Christine, que eu me relacionei com amor, sentimento puro e verdadeiro, algo que vêm do fundo do peito.
- Eu entendo, Matt! Eu posso não ter o seu amor de verdade, mas pelo menos pra algo eu sirvo. Sou apenas uma amante pra você e amantes não são pessoas importantes na vida. -Diz ela, servindo-se de um uísque. -Ah, e antes que eu me esqueça, sua esposa esteve aqui! Christine, o grande amor da sua vida!
- O que ela veio fazer aqui, Suzi?
- Veio desabafar um pouco. Que coisa feia, Matt! Traindo sua mulher.
- Não é hora de ficar brincando, Suzi! Você me colocou nessa roubada. Agüente as conseqüências!
- Roubada, não, meu amor! Paixão. Você continuou também porque quis. E cá pra nós, a nossa relação é perfeita, né? Você me completa, Matt em todos os sentidos.

Não Fuja

- Você é uma cilada perfeita pra mim. É isso que eu percebo!
- Somos como a corda e a caçamba, meu amor! Precisamos um do outro.
Matt fica em silêncio e Suzi continua.
- Diz aí! Quando começou a trabalhar como policial hein?
- Por que quer saber disso agora?
- Deixa de ser infantil, Matt e responda a minha pergunta!
- Tudo bem! Eu tinha dezoito anos. Havia perdido meus pais e tive que morar com uma avó. Eu gostava muito de ser policial e me formei na corporação aos vinte e dois, onde conheci o Sr. Smith, que me considerou como um filho e me ajudou a ingressar mais na minha profissão. Trabalhei como guarda de trânsito por um ano antes disso. Nunca corri atrás de bandido. Eu apenas deixei que eles me levassem até ele.
- Interessante, Matt! E como conheceu Christine?
- Eu estava num banco quando houve um assalto. Lembro bem desse dia como se fosse ontem. O assaltante entrou e provocou muita confusão. Neste dia, eu estava armado, porque sempre tive uma defesa. O assaltante tentou pegar alguns clientes como reféns e eu tive que fazer algo pra ajudá-los. E lá estava ela, no meio de tantas pessoas apavoradas. Christine estava temida com a situação e eu não hesitei. Eu saquei minha arma e com a força e coragem, eu decidi agir por conta própria e tentar manter a ordem no local.
Não havendo concordância, sem piedade, eu atirei no bandido, o qual marcou o início da minha carreira como policial.
- Nossa, Matt! Você foi um grande herói pra Christine.
- Eu sei. Mas agora, não sou o herói de ninguém. Existe um assassino a solta e eu não posso fazer nada pra detê-lo. Tenho apenas pistas que não me levam a nada.
- É o caso de Regina Winston, né?
- Exatamente. Bom, eu preciso ir agora! - Diz Matt.
- Sempre suas obrigações em primeiro plano e eu mais uma vez deixada de lado.
- Você sabe que eu preciso realmente ir.
- Espera, Matt! Tem algo que você precisa saber.
- O que se trata, Suzi? - Ele se indaga. - Eu estou super cansado!
- Eu menti pra você quando disse que trabalhava com decorações.
- Eu já imaginava, Suzi. - Diz ele. - Você não me parecia decoradora.
Suzi sorri sem jeito e consente.
- Desculpe por ter mentido! Na realidade, a minha profissão é outra. Eu sou prostituta! - Diz Suzi, se revelando. – E quando eu disse que queria uma relação firme e duradoura, eu não estava mentindo. Eu desejo isso, Matt! Quero apenas ser feliz com você, se for possível! Quero sair dessa vida e percebi em você, um cara admirável. Me apaixonei por você.


Matt a encara e toca em seu rosto.
- Eu sinto desapontá-la, mas não sou o cara certo pra você. Desculpe! - E sai porta afora, deixando-a sozinha no apartamento.
Ao fechar a porta devagar, Suzi fica séria e do seu olho, vem uma lágrima que escorre face abaixo.

Enquanto isso, Sr. Smith verifica alguns arquivos e analisa um por um, lendo seu conteúdo e anotando alguns detalhes importantes num pequeno bloco.
- Vejamos! Inicialmente, Regina foi encontrada morta em um acidente automobilístico idêntico ao ocorrido com Anderson, Dinorah foi morta em seu apartamento com cortes profundas e D. Juliet morreu em uma explosão em sua própria casa. Deve haver algo em comum entre estes fatos! - Ele pensa. - Então, a próxima vítima seria Justine ou Olivier, já que também conseguiram pegar a Brendha, filha de Dinorah.
Ele decide ligar pra Matt e avisar sobre a sua hipótese.
Ciente da situação, ele concorda e pede pra polícia ficar atento.
O delegado decide se organizar em imediato.

Mais tarde, Suzi vai ao encontro marcado pelo misterioso homem que a mantém contato e ela encontra um Ford Ka em sua frente. O vidro escuro se abre e ela se mantém calma ao vê-lo. Em passos firmes, ela se dirige até ele e abre a porta.
- Eu não disse que voltaria, Suzi! A partir de agora, o jogo vai começar a mudar um pouco e eu vou dar um passo definitivo. Ele diz, com seriedade e um brilho no olhar. - Entre no carro! Precisamos conversar um pouco.
Suzi entra no carro e senta-se ao lado do desconhecido homem, que a observa de cima a baixo.
- Você está linda, Suzi! Á cada dia que passa, fica mais atraente, mais gostosa. Senti muito a sua falta ultimamente. - Diz ele, tragando um cigarro.
- Eu sei bem a falta que te faço.
Ele coloca a mão em sua coxa e deslizando, diz:
- Você é uma mulher que ainda mexe com meu coraçãozinho. Confesso que tenho ciúmes quando alguns dos meus clientes se envolvem com você.
Suzi o encara com um olhar sério.
- Posso saber o que pretende fazer com o Matt? - Ela o interroga, fazendo ele mudar de assunto.
- Minha querida, por que falar de negócios agora? Vamos curtir a noite! Tomar umas bebidas. Transar loucamente como nos velhos tempos. Faz tempo que eu estou querendo brincar um pouquinho. Aliás, não sou feito de aço né!
- Eu não quero fazer sexo com você. Acho melhor você guardar bem esse pintassilgo!

Conta Logo

- Suzi, assim você me decepciona mais ainda.
- Eu preciso saber qual é o seu jogo.
- Mas que mulherzinha teimosa você é. Por que o seu interesse nesse assunto? Eu não lhe disse pra ficar tranqüila em relação ao policial?
- Mas eu não acredito em você!
- Esse é o seu mal, Suzi! Mas se você não acredita na minha palavra, o que devo fazer né? Eu só posso lhe adiantar uma coisa: fica na sua e não se envolva mais nesta história. Muita coisa vai acontecer e eu não quero perder a minha mina de dinheiro. -Diz ele, tocando em seus lábios. - Gata, você é uma mulher rara e cara!
Suzi fica séria ao ouvir tais palavras.


Obs: Devido a problemas técnicos, o capítulo foi postado atrasado. Lamentamos o inconveniente.
Próximo Capítulo: 08/04 (20hs)
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Marcadores

4 Non-Blondes 50 Cent A Dona do Pedaço A Dor desse Amor A Força do Querer A-ha Abalou Abraço Abuso Sexual Ação Acidente Águas de Março Alceu Valença Alegria Alguém Always Amizade Amor Andanças Anjo Anjos Antarctica Antônio Ramos Rosa Anunciação Aplicativo Aquela Nuvem Atenção Ausência Avenida Brasil Ayrton Senna Baby Banda Beijo Banda Eva Beijo Beijo Roubado Bella Berimbau Metalizado Berlin Beth Carvalho Bleeding Love Bob Marley Bon Jovi Cachimbo da Paz Cafuné Calor Candy Shop Canto Carinho Carnaval Cássia Eller Castles in the Air Certeza Charlie Brown Chega Cheiro Cheiro de Amor Chikungunya Claudia Leitte Coincidência Coisas Come Undone Comédia Companheirismo Completamente Apaixonados Confiança Controle Convicção Coração Cores Crazy Crepúsculo Culpa Daniela Mercury De Ladinho Decepção Demi Lovato Dengue Deniece Williams Descaso Desejo Desisto Destino Devagar Devagarinho Dezembro Dire Straits Disney Distância Distante Divulgação Don Mclean Drama Duran Duran Ebook Edward Eline Porto Elis Regina Encontro Engenheiros do Hawaii Entretenimento Erótico Especial Espera Esquecimento Estrelas Êxtase Febre Amarela Felicidade Filho Filmes Fim de Ano Flashback Folia Força Fragilidade Frases Frio Futuro Gabriel Diniz Gabriel Pensador Game of Love Gameshow Gilliard Glória Perez Gravidez Gshow Haddaway Holly Vallance Homenagem Hot Hunting High and Low I Want You Back Ideia Imprevisível Demais In This Country Iniciativa Inspiração Investigação Irene Cara Ivete Sangalo Iza Jenilo João Emanuel Carneiro Jogo Jonas Brothers Julio Iglesias Justin Bieber Katwel Kid Abelha Kiss Kiss KLB Lado Lágrimas e Chuva Lambada Leona Lewis Lets Hear it for the boy Liberdade Lithium Livin La Vida Loca Livin on a Prayer Livro Love Love is all Around Luan Santana Luz Mãe Mágica Malandragem Mano Walter Marcelo Augusto Martinho da Vila Marvin Gaye Matsu MC Kekel MC Kevinho Me Espera Medida Michele Branch Miley Cyrus Miúcha Momento Momentos Money for Nothing Mundo Música My Love N'Sync Na Base do beijo Namorados Não Deixo Não Natal Natalie Imblugia Natasha Bedingfield Natural Negra Li Netflix Never Gonna Give You Up Nirvana Noite Novela O Bebê O Canto da Cidade Olhares Olhos One Love Oportunidade Ovelha Pai Paixão palavras Palpite Passado Paternidade Patrick Swayze Paz Paz Carnaval Futebol Pela Luz dos Olhos Teus Pensamento Pepê e Neném Perae Período Pesadão Pessoas Pintura Íntima Piscininha Poesia Pop Príncipe Prisão Probabilidade Querer Quize Rede Globo Rede Social Reflexão Relacionamento Virtual Ricky Martin Robin Zander Romance Sabiá Sangue Saudade Saúde Pública Scorpions Se Quiser Sem Você Não Viverei Senna Sentimentos Seriado Série Sertanejo Sexual Healing Shes Like The Wind Sinto Smells Like Teen Spirit Só por uma Noite Sofrência Sol Solidão Sonho sonhos Sorriso Sozinho Sucesso Surfista Solitário Suspense Take My Breath Away Tânia Mara Tempo Término Terra Texto The 100 Thiago Martins This is Promise You Tom Jobim Torn Traição Trailer Tribalistas Tudo Um dia a gente se encontra Unwritten Vai Sacudir Vai Abalar Vanessa Rangel Velha Infância Verdade Vida Vingança Você Você vai Estar na Minha Vou Festejar Voz Walcyr Carrasco Walk of Life websérie Wet Wet Wet Whadi Gama What a Feeling What is Love Wind of Change You are the One Youtube Zika

Direto do Canal do Youtube

SURF SHOP

Trilha Pop

AMAZON PRIME

TEM NOVIDADE CHEGANDO POR AÍ!!AGUARDE