• BUSQUE A ONDA PERFEITA!

  • QUE TAL UM ENCONTRO HOJE?

  • DESCUBRA OS SEGREDOS DE PERDIDOS DE SAUDADE!

As histórias que são postadas aqui são de ficção, porém apenas pra degustação para que os leitores possam conhecer os personagens e a trama envolvida. Caso o autor tenha interesse em compartilhar um conteúdo na íntegra, o site lhe informará automaticamente, portanto não deixe de ativar nossas notificações pra ficar por dentro de cada novidade.
Em relação aos posts, qualquer semelhança com nomes, pessoas ou acontecimentos reais terá sido mera coincidência.
E importante: As compras nos links externos de vendas da Amazon e Clube de Autores são seguras e nenhuma informação é divulgada pelo site, como nome de cliente, data de pagamento, valor pago, forma de pagamento usada, enfim... Basta clicar no link que direciona para o site de vendas e fazer a compra, sem se preocupar com nada!

Leandro Elesbão

domingo, 31 de março de 2019


Feliciano não demonstra muita simpatia pelo policial que surge em sua casa para fazer interrogatórios sobre a morte de Regina.
- Regina? Mas o que você quer saber sobre a minha ex-mulher?
- Apenas farei perguntas simples que possam esclarecer alguns fatos que levaram a ocorrer o falecimento da sua ex-esposa.
- Tudo bem! Entre! - Convida Feliciano. - Espero que seja rápido, pois tenho um compromisso mais tarde.
- Claro. - Diz o policial entrando e se sentando no sofá.
- Pois bem! Pode fazer as perguntas. - Diz Feliciano, se prontificando a responder.
Matt se organiza e inicia o questionário.
- Antes de tudo, apenas me confirme essa informação: vocês foram casados por dezessete anos certo?
- Sim...
- Hum. E qual foi a última vez que viu Regina antes de sua morte?
- Faz muito tempo, desde que nos separamos. Estávamos diante do juiz acertando o nosso divórcio. Regina parecia bem e convicta de sua atitude. Eu só queria mesmo era ter paz.
- Paz? Pode ser mais claro?
- Regina me fez sofrer demais, Matthew. O nosso casamento foi um verdadeiro fiasco. Não era pra ter acontecido, porque o verdadeiro amor de Regina era o melhor amigo dela: Olivier, que provavelmente você já deve estar ciente. Talvez foi por causa dele que a gente não demos certo. Mas isso agora não é mais problema! Nos separamos e cada um seguiu sua vida. - Diz o escritor, lamentando-se.
- E quanto às amizades dela, Sr. Feliciano? Soube que você não gostava das amizades de Regina e que a mantinha afastada até mesmo de sua família.
- Eu jamais afastei Regina dos amigos e da família. Eu sempre a preservei. Regina saía muito de casa e eu não gostava disso. Sabia que ela tinha um caso com Olivier, portanto, sempre fiquei contra a ideia de ela sair sozinha. Mas quanto á tia dela, eu jamais a impedi de vê-la. Regina visitava Juliet e vice-versa.
- Você sempre acreditou que Dinorah era confiável? Por quê?
- Simples. Dinorah era uma boa mulher e Regina estava muito ligada a ela. Eram como se fossem irmãs. Regina nunca mediu esforços pra ajudá-la. Sempre a apoiou!
- Então, Dinorah era a única amiga que realmente ficou do lado de sua ex-mulher?
- Bom, quando ela teve o caso com Olivier e pensou em se separar de mim pra ficar com ele, Dinorah, por mais que conhecesse a amiga e que a tratava bem, se opôs. Ela ficou do meu lado, mas Regina não dispensou sua amizade. Dinorah deixou bem claro a sua opinião sobre as atitudes da amiga com relação ao nosso casamento. Resumindo, a amizade das duas continuou normalmente.

Investigação

- E não houve nenhum tipo de atrito entre as duas neste período?
- Não, porque Regina e Dinorah se respeitavam. Embora tivesse opiniões diferentes, as duas nunca deixaram os problemas se misturar com a amizade que tinham. Até Justine tinha ciúmes da Dinorah e Regina, porque as duas estavam sempre juntas.
- Entendi! E o que você acha deste acidente com Regina? Será que foi proposital mesmo?
- Foi até bom ter mencionado esse assunto. Pelo que eu conheço a Regina, ela não tinha inimigos. Mas eu acredito que deva haver algum motivo pra ela vir a falecer desse jeito.
- Motivo? Alguma coisa em mente?
- Eu não sei explicar, senhor policial, mas talvez a resposta que você procura, o próprio Olivier vai lhe dizer.
- Olivier? Por que ele teria essa resposta?
- Simples. Porque conforme eu disse, Regina se separou de mim por causa dele e talvez ele saiba o que realmente houve de fato pra este acidente acontecer. - Diz Feliciano, parecendo ser sincero em sua resposta.
Matt fica sério, mas não exclui a hipótese do escritor estar correto em sua convicção. Olivier pode sim, saber de fato o que estava acontecendo com Regina Winston.

O tempo passa e Matt não consegue disfarçar que ainda sente algo por Suzi. Os dois se encontram quase todos os dias e o seu pensamento não está mais voltado ao seu trabalho e a sua família. A maioria dos encontros acontece no hotel sempre no final da tarde. Suzi, com um olhar provocante e um sorriso encantador e Matt, com aquela expressão de bobo e ansiedade. São horas de abraços, beijos e momentos de prazer dia e noite. Drinques, coquetéis, rosas sobre a cama, um verdadeiro oásis. Havia um jogo de envolvimento entre os dois que não tinha restrições. Suzi se entregava de corpo e alma á Matthew e gemidos se ecoavam por todo o quarto. Depois do ato sexual, o casal decide conversar um pouco.
- Eu adorei a nossa noite! - Diz Suzi, beijando seu pescoço.
- Eu também gostei, mas agora eu quero saber uma coisa de você!- Ele se vira e a encara.- Qual é o seu jogo, Suzi?
- Jogo? - Ela pergunta séria.
- Sim. Seu jogo? - Ele a questiona. - Até hoje a sua atitude naquele supermercado não me convence.
- Matt, deixa de ser bobo! Eu apenas livrei a sua mulher de um assalto. Não houve jogo!

Juntos de Novo

- Eu quero muito acreditar nisso, mas não consigo! Existe algo em você que eu não sei explicar. Talvez eu não consiga enxergar, perceber. Suzi, a sua beleza é tão misteriosa demais!
Suzi dá de ombros e tenta disfarçar.
- Matt, eu sou apenas sua. Você pode fazer o que quiser de mim, meu amor! Vem, me beije! Me chame de tesão como me chamou a noite toda!
- Eu estou falando sério, Suzi! Quero saber a verdade.
- Essa conversa está ficando chata já.
Matt não reconhece a expressão de Suzi e percebe que existe algo diferente em seu jeito de se expressar.
- Eu vou embora! - Ele se prepara pra se arrumar.
- Eu fiz algo errado? Por favor, fique mais um pouco!
- Não, Suzi! Eu realmente preciso ir. Obrigado por mais uma noite agradável! - E sai porta afora, a deixando desolada.

Suzi se veste com uma camisola transparente e vai direto ao guarda-roupa, onde retira da gaveta, um revólver calibre38.
- Espero que eu esteja fazendo a coisa certa! - Ela pensa sobre a cama com o revólver nas mãos.

Será que Devo fazer isso

Sr. Smith conversa pelo bate-papo virtual quando o telefone toca. Ele decide atender, quando do outro lado da linha, D. Juliet lhe revela algo assustador.
- Preciso dizer algo de suma importância: proteja a Brendha, filha de Dinorah. Regina amava muito aquela menina e ela não se perdoaria se acontecesse algo a ela. - Diz a senhora, aflita.
- A filha de Dinorah? Posso saber o motivo, D. Juliet?
- Não posso falar mais nada. Desculpe! - Ela desliga de súbito e ele se preocupa.
- Preciso falar com o Matt agora! - Ele decide ligar em imediato.
Matt atende num só toque e o delegado transmite a informação.
- Não se preocupe, eu vou à casa dela agora! - Diz o policial.
Matt desliga o telefone e entra no carro. Ele decide rumar até a casa de Juliet. Ao chegar na esquina da casa da tia de Regina, ele estaciona o carro e sai. De repente, a casa da velha senhora explode, lançando pedaços de telha em pleno ar. O fogo se espalha rapidamente e Matt se desespera. Ele ainda tenta apagar as chamas com um extintor de incêndio que estava no porta-malas do carro, mas não consegue encontrar vestígios da senhora.
- D. Juliet! Nãoooooo! - Ele grita inconformado e se agonia de raiva. - Oh meu Deus! Por quê?

Explosão

Alguém observa a cena do outro carro e acende um cigarro enquanto os bombeiros já surgem na esquina.
Matt se sente arrasado e desabafa em uma ligação com o delegado.
- Ela não merecia isso, Sr. Smith! - Diz Matt, se lamentando. - Precisamos parar essa onda de homicídios.
- Eu entendo a sua aflição, Matt! Mas vamos tentar raciocinar: a pessoa que cometeu este crime bárbaro com Juliet vai agir novamente e a próxima vítima seria a Brendha, filha de Dinorah. Antes de morrer, D. Juliet deixou bem claro que algo poderia acontecer a menina e que precisamos protegê-la.
- Você está certo, Sr. Smith, mas a Brendha não está protegida?
- Bem, alguns homens de minha confiança estão a mantendo segura. Ela e a família. Porquê? Acha que algo vai acontecer a ela?
- Sr. Smith, algo me diz que tem alguma coisa errada. Telefone para os seus contatos e procure saber como está a Brendha e a família dela agora. Não podemos deixar mais nada de ruim acontecer com amigos próximos de Regina. -Diz Matt, sensibilizado.
- Claro. -Diz o delegado, consentindo e discando o número rapidamente.

Alguns dias depois, Matt resolve se encontrar com Suzi novamente, que o recebe gentilmente como de costume.
- Sabia que viria, Matt! -Diz ela, desabotoando a blusa.
- Eu não vim pra isso, Suzi! -Diz Matt. - Preciso que se afaste da minha família.
- Eu não estou entendendo. - Diz a jovem.
- Eu não quero te ver com a Christine. Por isso, eu vim dar um basta na situação antes que seja tarde demais.
Suzi abotoa a blusa novamente e diz:
- Tudo bem! Se você quer tanto que eu me afaste de sua mulher, eu me afasto, sim!
- Nossa! Muito obrigado! Você me deixa aliviado, Suzi.
- Eu estou fazendo isso por você, meu amor! - Diz ela, servindo um drinque. - Mais alguma coisa que eu deva fazer por você?
- Isso é tudo. - Diz Matt, bebendo alguns goles e dando de ombros.
De repente, ele se vira e observa a jovem quase despida em sua frente e diz:
- Pensando melhor, acho que eu tenho mais um pedido a lhe fazer. Embora eu possa me arrepender depois, mas você, Suzi me tira totalmente do sério. -Diz ele, tirando da sua mão o copo de uísque e a beijando ardentemente. Suzi se rende, agarrando-o ao seu corpo forte e atlético e deslizando suas mãos até a região da cintura.


- Você é louca, sabia? - Ele murmura em seu ouvido, a colocando contra a parede.
- Eu? Você não me conhece nem um pouquinho. - Ela responde, com um ar irônico.

Enquanto isso, Christine um livro enquanto espera o marido chegar do trabalho e observa Renan num sono tranquilo.
- Onde você se meteu, Matt! - Ela fica pensativa ao olhar o relógio.

No condomínio, Suzi acorda Matt depois de horas de sono.
- Que horas são? - Ele pergunta, despertando.
- São sete da manhã, querido! - Ela responde.
- Oh, não! Eu não acredito. - Ele se levanta ás pressas.- Por que não me acordou mais cedo?
- Ora essa, querido, você estava num sono bom que eu preferi não acordá-lo. Ultimamente, você anda precisando de um bom descanso. - Ela diz.
- Droga! O que vou dizer á Christine? Que loucura que eu fui fazer na minha vida! - Ele põe as mãos sobre a cabeça.
- Você se preocupa tanto, Matt! Christine vai entender os seus motivos de não ter chegado em casa mais cedo.
- Você não conhece a minha mulher, Suzi! Eu nunca dormi fora de casa. -Diz ele, se arrumando ás pressas. - Não tenho mais vida de solteiro como antes.
- hum. Que fofo! - Ela zomba.
- A culpa é sua, Suzi! - Ele diz, irritado.

Perdi a Hora

- A culpa é minha agora? Matt, não sou eu que vou na sua casa te procurar. Você é que sente a minha falta. Por que não reconhece de uma vez que não pode ficar sem o meu cheiro, meu corpo, meus lábios? Você me adora, Matt! Admita pra sim mesmo!
- Eu devo estar mesmo doido, Suzi!
- Matt, sabe de uma coisa? Eu estou cansada dos seus medos e do seu papinho furado. Por que não toma uma iniciativa de homem de verdade e deixa de ser tão infantil?
- Como é que é? Suzi, eu tenho uma família. Tenho uma esposa maravilhosa e um filho lindo.
- Ah, por favor, Matt! Não vem com esta mesma história de novo. Eu estou cansada, ouviu bem, de te ouvir dizer que possui uma família, que possui isso e aquilo. Por que você me procura afinal? Matt, eu não sirvo só pra sexo. Eu tenho sentimentos também. Eu não sou um poço pra você vir jorrar teu sêmen, não!
- Suzi, me desculpa tá! Pode ficar tranquila que eu vou desaparecer da sua vida e que jamais vamos nos esbarrar de novo.
- Pára Matt! Você diz que vai desaparecer, mas no fundo, vai me procurar. Vai continuar traindo Christine comigo, sabe por quê? Porque eu deixo você aceso a noite toda. O dia todo. Eu te deixo maluco.
- Pior que você tem razão. Eu fico louco por você.
- Vá embora, Matt! Você pode estar confuso, perdido, mas eu não estou aqui pra ser simplesmente um objeto sexual seu. Eu ainda te recebo nesta casa porque eu te amo de verdade e quero muito construir uma relação ao seu lado. Mas como você possui uma família invejável, eu não quero ser o pivô de sua separação. Só me procure quando realmente perceber os seus sentimentos pela minha pessoa. - Ela se levanta e abre a porta pra ele sair. - Agora eu preciso ficar sozinha! Por favor, saia!
- Isso é verdade? Você me ama?
- Vá embora Matt! Me deixa em paz por favor!
Matt abaixa a cabeça e sai porta afora consentindo. Suzi fecha com força.

Horas depois ao chegar em casa, Matt joga as chaves sobre a mesa do centro e segue para o corredor. Ele abre a porta do quarto de Renan e o encontra dormindo tranquilamente. Depois, vai direto para o seu quarto onde encontra Christine sentada sobre a cama.
- Bom dia! - Ele a cumprimenta.
Christine o encara friamente e responde:
- Bom dia, Matt! Posso saber por que chega a esta hora?
- Christine... - Ia dizer ele, quando ela a detém.
- Matt, você nunca dormiu fora de casa. O que está havendo?
- Amor, eu posso explicar. -Diz ele, tentando tranquilizar a situação. - Eu tive que trabalhar até tarde nas investigações.
Christine o encara mais uma vez.
- Deixa de mentiras, Matt! Eu liguei para o Sr. Smith e ele me disse que você tinha saído mais cedo.
- Então, eu fui visitar alguns amigos próximos de Regina. Você não soube do ocorrido com D. Juliet? Eu tenho que pegar este assassino que anda rondando a cidade fazendo vítimas e causando terror. - Justifica-se Matt.
Christine consente e fica em silêncio por alguns instantes.
- Desculpa não ter dormido em casa. Eu sei que você deve ter ficado preocupada comigo, mas está tudo bem agora. Tudo o que eu preciso é de uma ducha quente e algumas horas de sono. - Diz Matt, tirando a roupa e indo para o banheiro.
- Está desculpado, Matt! Vá tomar seu banho!
Christine dá de ombros e resolve ir pra cozinha preparar um café.

Suzi recebe a ligação misteriosa outra vez e a conversa promete não ser das melhores.
- Por que está diferente com o seu homem hein? - A voz pergunta brava do outro lado da linha.
- Você não é o meu homem e eu estou cansada! Cansada de tudo, ouviu bem?
- Vagabunda! Você está traindo toda a confiança que depositei em sua pessoa.
- Olha aqui, você devia me agradecer por Matt estar em minhas mãos, porque se não fosse por mim, meu amor, ele jamais estaria tão envolvido pela minha pessoa. Eu estou te quebrando um galho e você devia me agradecer muito.
- Como você é tão generosa, né? Eu te conheço muito bem e sei de onde você veio, Suzi. Você não joga pra perder. Alguma eu sei que você está aprontando e eu vou te parar o mais depressa possível. Esse jogo é meu e não teu!
- Se você acha que eu estou jogando com você, então porque não assume logo as suas responsabilidades e deixa de lado um pouco o seu ar misterioso? Quero ver se você tem coragem de enfrentar os riscos a esta altura do campeonato.
- Como você é maliciosa, Suzi! Ás vezes, eu tenho vontade de matá-la, mas sei que não posso fazer isso. Tenho dívidas com você e te matar agora, prejudicaria todos os meus planos.
- Claro, porque sem a mim, meu bem você não chega onde quer. Lembre-se de algo: se o Matt se sentir ameaçado, fique certo que o jogo vira e eu mudo minhas táticas.
- O que significa que você fica contra mim?
- Sim, mas com certeza você não viverá pra contar a história. -Diz ela firme e grossa.

Neste ínterim, Christine volta da cozinha e segue para o quarto. Ela encontra as roupas do marido sob a cama e decide organizá-las no camiseiro, quando de súbito vê uma marca de batom na gola da camisa branca. Ela fica revoltada com a situação e entra no banheiro imediatamente, o flagrando dentro do Box nú.
“No momento que Matt estava deitado, roncando sobre a cama, Suzi passou um batom nos lábios e pegando a roupa dele, decidiu deixar sua marca de propósito. Ela sabia que Christine poderia perceber a marca de batom na camisa do marido.”
- Amor, o que houve? - Ele pergunta intrigado e todo despido, ainda molhado pela água morna que caía do chuveiro.
- Você estava com outra, né? - Ela o interroga com a camisa na mão.
- Christine, eu posso explicar tudo. -Diz Matt, sem palavras em mente.
- Quem é a ordinária, a safada com quem anda me traindo? Me conte a verdade, sem mentiras porque estou farta de ser enganada.
- Querida, eu vou confessar, sim! Eu fiquei com uma pessoa, mas eu juro que foi só esta noite. Eu te amo, Christine e o que houve só foi uma simples aventura, nada importante.
Christine fica cheia de ódio e dá um tapa no rosto de Matt.


Obs: Devido a uns problemas técnicos, o capítulo foi postado hoje. Lamentamos o incovenente.
Próximo Capítulo: 05/04 (20hs)
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

TAGS

4 Non-Blondes 50 Cent A Dona do Pedaço A Dor desse Amor A Força do Querer A Little Respect A-ha Abalou Abraço Abuso Sexual Ação Acidente Agonia Águas de Março Alceu Valença Alegria Alguém Always Amanhã não se Sabe Amizade Amor Andanças Anjo Anjos Antarctica Antônio Ramos Rosa Anunciação Aplicativo Aquela Nuvem Atenção Ausência Avenida Brasil Ayrton Senna Baby Balada Banda Beijo Banda Eva Beijo Beijo Roubado Bella Berimbau Metalizado Berlin Beth Carvalho Biquíni Cavadão Bleeding Love Bob Marley Bon Jovi Cachimbo da Paz Cafuné Calor Candy Shop Canto Carinho Carnaval Cássia Eller Castles in the Air Certeza Charlie Brown Chega Cheiro Cheiro de Amor Chikungunya Ciara Circunstância Ciúme Claudia Leitte Coincidência Coisas Come Undone Comédia Companheirismo Completamente Apaixonados Confiança Controle Convicção Convivência Familiar Coração Cores Crazy Crepúsculo Culpa Daniela Mercury De Ladinho Decepção Demi Lovato Dengue Deniece Williams Desafio Desaparecimento Desapontamento Descaso Descoberta Desejo Desespero Desisto Destino Devagar Devagarinho Dezembro Dificuldade Dire Straits Discussão Disney Distância Distante Divulgação Don Mclean Drama Duran Duran Ebook Edward Eline Porto Elis Regina Encontro Engenheiros do Hawaii Entretenimento Envolvimento Erasure Erótico Especial Espera Esquecimento Estrelas Everybody Get Up Ex Êxtase Faith Família Febre Amarela Felicidade Filho Filmes Fim de Ano Five Flagrante Flashback Folia Força Fragilidade Frases Freedom Frio Futuro Gabriel Diniz Gabriel Pensador Game of Love Gameshow Garoto de Programa Gay George Michael Gilliard Giniel Give It Up Glória Perez Gravidez Gshow Guns N'Roses Haddaway Holly Vallance Homenagem Hot Hunting High and Low I Want You Back Ideia Imprevisível Demais In This Country Independência Iniciativa Inspiração Investigação Irene Cara Ivete Sangalo Iza Jenilo João Emanuel Carneiro Jogo Jonas Brothers Julio Iglesias Justin Bieber Katwel KC and the Sunshine Band Kid Abelha Kiss Kiss KLB Lado Lágrimas e Chuva Lambada Lembranças Leona Lewis Lets Hear it for the boy Liberdade Lithium Livin La Vida Loca Livin on a Prayer Livro Love Love is all Around LS Jack Luan Santana Luz Mãe Mágica Malandragem Mano Walter Marcelo Augusto Maresia Marquinhos Moura Martinho da Vila Maru Marvin Gaye Matsu MC Kekel MC Kevinho Me Espera Medida Medo Mel Michele Branch Miley Cyrus Miúcha Momento Momentos Money for Nothing Mundo Música My Love N'Sync Na Base do beijo Namorados Não Deixo Não Natal Natalie Imblugia Natasha Bedingfield Natural Negra Li Netflix Never Ever. Young Jezzy Never Gonna Give You Up Nirvana Noite Novela O Bebê O Canto da Cidade Objetivo Olhares Olhos Ondas One Love Oportunidade Ovelha Pai Paixão palavras Palpite Passado Paternidade Patrick Swayze Paz Paz Carnaval Futebol Pela Luz dos Olhos Teus Pensamento Pepê e Neném Perae Período Pesadão Pessoas Pintura Íntima Piscininha Poesia Pop Praia Prazer Preconceito Príncipe Prisão Probabilidade Professor Prostituição Masculina Querer Quize Rebelde sem Causa Rede Globo Rede Social Reflexão Relacionamento Virtual Revolta Ricky Martin Rivalidade Robin Zander Romance Roubo Sabiá Sahi Sangue Saudade Saúde Pública Scorpions Se Quiser Segredo Sem Você Não Viverei Senna Sentimentos Seriado Série Sertanejo Sexual Healing Shes Like The Wind Sinto Skate Smells Like Teen Spirit Só por uma Noite Sofrência Sol Solidão Sonho sonhos Sorriso Sozinho Sucesso Surfboard Surfe Surfista Solitário Suspense Sweet Child O'Mine Take My Breath Away Tânia Mara Tempo Término Terra Texto The 100 Thiago Martins This is Promise You Tom Jobim Torn Traição Trailer Tribalistas Tristeza Tudo Ultraje a Rigor Um dia a gente se encontra Unwritten Vai Sacudir Vai Abalar Vanessa Rangel Velha Infância Vento Ventania Verdade Vida Vingança Visita Você Você vai Estar na Minha Vou Festejar Voz Walcyr Carrasco Walk of Life websérie Wet Wet Wet Whadi Gama What a Feeling What is Love Wind of Change You are the One Youtube Zika

DIRETO DO CANAL

TRILHA POP

AMAZON PRIME

TEM NOVIDADE CHEGANDO POR AÍ!!AGUARDE